quinta-feira, 25 de novembro de 2010

DA BREVIDADE


El dinosaurio


Cuando despertó, el dinosaurio todavia estaba ali


Augusto Monterrosso


*


Depois de muito tentar conseguiu. Conseguiu sabe-se lá o quê.


*


Mudou do dia para a noite. Foi uma mudança indesejada. De dia estava vivo e à noite estava morto.


*


Esta é uma história que não foi, mas podia ter sido, se alguma vez tivesse chegado a ser. O que não aconteceu!


*


PORQUÊ FALAR? Disse isto e calou-se. Mas no silêncio a pergunta repetida continuou a responder-lhe.


*


Os seus últimos pensamentos foram para a mulher e para os filhos. Depois disso nunca mais voltou a pensar. Desde então a vida tem-lhe corrido muito melhor.


*


Um certo dia um homem deu por si outro, obliterado de quem tinha sido, e sentiu-se imensamente feliz, pois todo o futuro podia agora finalmente ser seu.


*


Alva, a luz flutuava lá no alto. E ele, imerso em sombras, subia até ela o seu olhar. [Nada mais.]


*


A luz


É muito difícil manter a luz em nós quando tudo escurece à nossa volta, disse o homem, e logo concluiu, mas nunca ela é mais necessária do que nesses momentos.


*


Uma certa mulher era sempre quem tinha de ser, e com tal intensa verdade o era, que o ser era em si pura alegria e luz, e perto dela nunca ninguém se aborrecia.


*


Brevidade


A Morte encontrou-o vivo. Por pouco tempo.


*


Deitou-se para dormir e não acordou mais. E ainda hoje sonha uma morte feliz.


*


Escreveu dezenas de contos mínimos, belos como teoremas, e morreu cedo, antes dos trinta. A brevidade foi a sua bandeira.


*


Em menos de cinco minutos escreveu uma pequena história bela como um teorema. Empregou nessa acção toda a sua experiência de vida.


*


O príncipe acordou-a com um beijo. E isso foi apenas o começo.


*


Casaram e foram felizes para sempre, o que só foi possível graças ao divórcio.


***


[antologia de histórias mínimas retiradas de Mil e uma pequenas histórias - um diário mínimo]


1 comentário:

  1. Uma bela antologia, quase lembra as minhas conversas de passagem

    Um abraço Luis N
    Luis NA

    ResponderEliminar