quarta-feira, 24 de novembro de 2010

em greve também se escrevem poemas


Um homem caminha sobre as águas

numa manhã cinzenta


tem frio tem fome tem sono

está-se nas tintas para a poesia mas


olho-o e sinto-a e sei que a poesia

também existe fora de mim


e é afinal essa distância

feita poema que eu escrevo

Sem comentários:

Enviar um comentário