quarta-feira, 24 de setembro de 2014

EXERCÍCIOS DE ESCRITA




I

 

desenho palavras

alinhando longas linhas

estranhas formas regulares

de curvas e arestas

improváveis

que se prolongam

repetidamente

no silêncio

 

II

 

as palavras brilham

de forma desigual

no negrume uniforme

do silêncio primordial

recordando-me que

de noite nem todas

as palavras são

pardas

 

II

 

queria escrever um

poema

em que as palavras

imóveis

corressem em todas

as direções

poema atravessado

por ventos

por marés

poema atravessado

pelos sonhos perturbados

dos homens

que vivem

sós
 
 

 

 
 

2 comentários: