sexta-feira, 8 de agosto de 2014

QUOD ERAT DEMONSTRANDUM


 Os poetas falam todos dos mesmos temas
e usam todos as mesmas palavras,
mais coisa menos coisa, é certo,
mas, no geral, é mesmo assim,
e nunca doutra maneira.
Logo, o mais natural seria que dissessem
todos as mesmas coisas, mas,
e isto é facto que não carece de comprovação,
de tão óbvio,
os leitores lêem e, sobretudo, ouvem
sempre diferentes coisas nos mesmos poemas.
Podemos então concluir, sem mais,
que o enunciado já vai longo,
que muito mais importante do que aquilo
que os poetas dizem é aquilo
que os poetas deixam para o leitor

dizer.

Sem comentários:

Enviar um comentário