quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Exercícios inconsequentes! (actualizado)

“O dinossauro” de Augusto Monterroso é um dos textos mais estudados, citados, resenhados e parodiados na história da palavra escrita, apesar de ter uma extensão de exatamente sete palavras. (*)
A proposta/desafio é que o alterem, mantendo ou não o número de palavras original (7), da forma que quiserem e lhes for possível.
A proposta é que se divirtam, que sejam ousados, provocadores, que experimentem, sim que experimentem a microficção e que assim fazendo a pensem. Não tenham medo, ousem, divirtam-se, que a literatura também é alegria.

Aqui deixo "O dinossauro" na versão original, uma tradução e a minha modificação.

“Cuando despertó, el dinosaurio todavía estaba allí.”


Quando despertou, o dinossauro ainda estava lá.


*


Quando despertou, o morto ainda estava lá.

Quando adormeceu de novo, o morto saiu.

Quando despertou, não deu conta de nada.

Quando adormeceu, ainda outra vez, nada aconteceu.

Quando despertou, estava no lugar do morto.

Quando tentou dormir, percebeu que não conseguia.

Quando o morto voltou, adormeceu de vez.


*


Quando despertou, o dinossauro ainda estava ali.

E não ia embora. Fitava-o com curiosidade.

Adormeceu. Acordou. Adormeceu. Sempre a mesma coisa.

Acordou, viu o bicho. Obviamente que sonhava.


Sara Monteiro


*


Quando decidiu fugir, o dinossauro foi atrás.


Margarida Brito


*

Quando acordou, faltava ainda uma palavra.

*

Deus acordou. O caos ainda estava lá.

*

Quando despertou, o dinossauro ainda estava lá.
Presente dos pais. Atirou-o longe. Ainda queria um cachorro.

*

Quando sonhou, a solidão ainda estava lá.

*
Quando despertou, a escuridão ainda estava lá... a sete palmos debaixo da terra.


Wilson Gorj


*

quando despertou, o corpo ainda vivia lá.

quando saiu, deixou a sombra ficar lá.

quando voltou, o dinossauro ainda jazia lá.


Van


*

Adormeceu. Quando acordou o mundo tinha acabado.

Sara Monteiro


*

O sonho de Deus

Adormeceu. Quando acordou tinha acabado o mundo.

Luís Ene


*

– Quando acordou, o dinossauro ainda estava ali.
– Um homem acordou junto de um dinossauro?!
– Não, nesta história há só o dinossauro.
– Não entendo: afinal quem é que acordou?
– O próprio dinossauro, quem havia de ser...
– Acordou e estava no mesmo sítio. Surpreendente...
– Um pouco: o pesado quadrúpede sonhara-se alado*.

* ou "Para ele sim: sonhou que tinha asas."

Carlos Tijolo

*

(Quando despertou, o outro ser ainda dormitava.)

Dari


16 comentários:

  1. Tentativa de continuação 1

    E não ia embora. Fitava-o com curiosidade.

    Sara

    ResponderEliminar
  2. VAriação 1

    Adormeceu. Acordou. Acordou. Sempre a mesma coisa.

    Sara

    ResponderEliminar
  3. Enganei-me, era assim:

    Adormeceu. Acordou. Adormeceu. Sempre a mesma coisa.

    Sara

    ResponderEliminar
  4. Acordou, viu o bicho. Obviamente sonhava.

    Sara

    ResponderEliminar
  5. Quando acordou, faltava ainda uma palavra.

    Gorj

    ResponderEliminar
  6. Deus acordou. O caos ainda estava lá.

    *
    Quando despertou, o dinossauro ainda estava lá.
    Presente dos pais. Atirou-o longe. Ainda queria um cachorro.
    *
    Quando sonhou, a solidão ainda estava lá.
    *
    Quando despertou, a escuridão ainda estava lá... a sete palmos debaixo da terra.
    * * *
    Gorj

    ResponderEliminar
  7. deixei 3 de 7 no hôtel, passas lá?

    ResponderEliminar
  8. O bicho era engraçado. Fora de moda.

    Sara

    ResponderEliminar
  9. Desgracioso. Mas com o peso dos clássicos.

    Sara

    ResponderEliminar
  10. Adormeceu. Quando acordou o mundo tinha acabado.
    Sara

    ResponderEliminar
  11. Quando despertou, o punhal ainda estava lá... cravado no peito infiel.
    *
    Quando a beijou, o amor já estava lá.
    *
    Quando ressuscitou, a cruz ainda estava lá.
    *
    Quando desabrochou, o beija-flor estava lá.
    *
    Quando afinou, o diapasão marcava Lá.
    *
    Quando chegou, ela já não estava lá.
    *
    Quando espiou, o amante ainda estava lá.
    * * *
    Gorj

    ResponderEliminar
  12. – Quando acordou, o dinossauro ainda estava ali.
    – Um homem acordou junto de um dinossauro?!
    – Não, nesta história há só o dinossauro.
    – Não entendo: afinal quem é que acordou?
    – O próprio dinossauro, quem havia de ser...
    – Acordou e estava no mesmo sítio. Surpreendente...
    – Um pouco: o pesado quadrúpede sonhara-se alado.

    ResponderEliminar
  13. Engraçado: só relendo a frio é que me salta à vista que a última deixa não fica nada natural no diálogo! Um pouco melhor: "– Para ele sim: sonhou que tinha asas."

    ResponderEliminar
  14. Carlos, olha que discordo, "o pesado quadrúpede" dá um tom humorístico que apreciei. Claro que há dinossauros bípedes :) pesado/alado também não é mau.

    ResponderEliminar
  15. Pois é: o que eu queria era manter o tal tom humorístico sem quebrar o tom informal, mas em sete palavras ainda não cheguei lá... :)

    ResponderEliminar
  16. (Quando despertou, o outro ser ainda dormitava.)

    ResponderEliminar