domingo, 19 de setembro de 2010

o estado da investigação

Convém recordar que as perguntas que norteiam a investigação em curso sobre o estado da literatura (em Faro) são as seguintes:

  1. Que escritores residem em Faro?

  2. Que grupos de escritores ou de escrita ou de leitura existem em Faro?

  1. Em que locais em Faro se reúnem os escritores?

  2. Que editores e que edições literárias têm sede em Faro?

  1. Que apoios existem em Faro para a literatura?

  2. Quem divulga/apoia em Faro os escritores que aqui residem?


Neste ponto da investigação as três primeira perguntas já receberam respostas que permitem chegar a algumas conclusões, o que não se passa com as restantes três.


Na verdade, parece que se pode afirmar com alguma segurança que existem em Faro cada vez mais pessoas a escrever mas existem poucas pessoas que se interessam (as pessoas estão desligadas), o que faz com que não exista uma verdadeira cena literária, aparecendo o Draculea Café Bar como o único lugar onde existe um actividade literária continuada (22 edições do Draculea Café Poesia), ainda que temporariamente interrompida.


Sem prejuízo de a investigação continuar a incidir sobre todas as perguntas, irei agora dar mais atenção às três últimas.


Quem quiser pode ainda responder a essas perguntas à laia de questionário (como tem acontecido) e/ou dar sugestões/indicaçõe sobre qualquer um dos pontos.


Além do mais, aguardo o retomar do Draculea Café Poesia numa destas terças, onde conto participar, e vou tentar estar nas primeira Leituras Perniciosas.


3 comentários:

  1. O DRACULEA Café Poesia regressa amanhã à noite. Seria um prazer contar com a presença do Luís!

    ResponderEliminar
  2. Boa noite. Muitos escritores com certeza prévia, residem em faro. Depende, claro está, do conceito lato que se está a usar. O que será ser escritor? Aquele que escreve? Aquele que escreve e foi publicado? Ou aqueles que simplesmente gosta de literatura, arte escrita e que gosta de o criar, independentemente da publicação/critica? Acho que mesmo estes residem em faro e em maior quantidade do que aquilo que se pensa, faltam é espaços como o draculea café bar, mais aposta na poesia e literatuura no pati das letras e noutros locais como "Os artistas" inserir o conceito também. Não sou natural de Faro, sou portuense. Gosto de escrever na medida da vontade, na medida que escrevo para soltar o que sinto e o que penso, ou simplesmente criar um teatro entre linhas com ficções realistas (ou não). O draculea café bar ensnou-me muito. Nele dei mais voz aos meus poemas, nele tive conselhos de melhores escritores e nele ouvi textos lindissimos, preformances fabulosas, pana os clientes/amigos baterem só palmas pelo bonito do evento, não havendo debate construtivo, não por falta de tentativa da estão do espaço, eles tentarão a artir da edição de hoje (e bem) mudar o conceito-chave para algo mais aberto à discussão. Há ainda cepticos que se vão embora quando a poesia começa e depois há outros habituais que participam, ouvem e convivem, como eu e muitas mais pessoas. Fio contente por já ir longo o numero de edições de poesia, no porto já se faz isto há algum tempo e há locais próprios que até esgotam as reservas, enfim, outras cidades, outras mentalidades. Um bem haja ao Draculea e ao luis que abrem estas discussões e divulgam enaltecendo o bom nome da poesia. Há grupos literários, o texto-al por exemplo, grupo informal de literatura do algarve no qual fazem parte sylvia beirute, pedro rodrigues, ana isa, eu e outros mais. Sinto um orgulho tremendo de estar entre escritores, sim escritores tão bons que se juntam para a partilha e aprendizagem auto-didacta. Este grupo é "presidido" pelo esritor já publicado Tiago nené e o luis ja deve com certeza conhecer o blogue :). O draculea em si também o considero uma organização literária, apenas não usa esse rótulo ;) Adorava saber que organismos apoiam a poesia e a literatura em Faro e no Algarve. Que se abra a discussão, um abraço, Diogo Leal

    ResponderEliminar
  3. Boa noite. Muitos escritores com certeza prévia, residem em faro. Depende, claro está, do conceito lato que se está a usar. O que será ser escritor? Aquele que escreve? Aquele que escreve e foi publicado? Ou aqueles que simplesmente gosta de literatura, arte escrita e que gosta de o criar, independentemente da publicação/critica? Acho que mesmo estes residem em faro e em maior quantidade do que aquilo que se pensa, faltam é espaços como o draculea café bar, mais aposta na poesia e literatuura no pati das letras e noutros locais como "Os artistas" inserir o conceito também. Não sou natural de Faro, sou portuense. Gosto de escrever na medida da vontade, na medida que escrevo para soltar o que sinto e o que penso, ou simplesmente criar um teatro entre linhas com ficções realistas (ou não). O draculea café bar ensnou-me muito. Nele dei mais voz aos meus poemas, nele tive conselhos de melhores escritores e nele ouvi textos lindissimos, preformances fabulosas, pana os clientes/amigos baterem só palmas pelo bonito do evento, não havendo debate construtivo, não por falta de tentativa da estão do espaço, eles tentarão a artir da edição de hoje (e bem) mudar o conceito-chave para algo mais aberto à discussão. Há ainda cepticos que se vão embora quando a poesia começa e depois há outros habituais que participam, ouvem e convivem, como eu e muitas mais pessoas. Fio contente por já ir longo o numero de edições de poesia, no porto já se faz isto há algum tempo e há locais próprios que até esgotam as reservas, enfim, outras cidades, outras mentalidades. Um bem haja ao Draculea e ao luis que abrem estas discussões e divulgam enaltecendo o bom nome da poesia. Há grupos literários, o texto-al por exemplo, grupo informal de literatura do algarve no qual fazem parte sylvia beirute, pedro rodrigues, ana isa, eu e outros mais. Sinto um orgulho tremendo de estar entre escritores, sim escritores tão bons que se juntam para a partilha e aprendizagem auto-didacta. Este grupo é "presidido" pelo esritor já publicado Tiago nené e o luis ja deve com certeza conhecer o blogue :). O draculea em si também o considero uma organização literária, apenas não usa esse rótulo ;) Adorava saber que organismos apoiam a poesia e a literatura em Faro e no Algarve. Que se abra a discussão, um abraço, Diogo Leal

    ResponderEliminar