quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

solidão



sento-me à mesa onde ninguém está
e digo o que tenho para dizer como
se falasse para uma multidão atenta

possuo o estranho mas eficaz hábito
de preferir falar a ser escutado

avanço sempre como um navio que 
tarda a chegar ao seu destino.


Sem comentários:

Enviar um comentário