segunda-feira, 14 de julho de 2014

ALGUNS POEMAS PORTUGUESES DO SÉCULO XX

Não podendo falar para toda a terra
direi um segredo a um só ouvido

Luiza Neto Jorge


A PEDRA

A pedra é bela, opaca,
peso-a gostosamente como um pão.
É escura, baça, ferrosa, avermelhada,
polvilhada de cinza.
Contemplo-a: é evidente, impenetrável,
preciosa.

António Ramos Rosa


DESPEDIDA

Colhe
todo o oiro do dia
na haste mais alta
da melancolia.

Eugénio de Andrade


ESTRELA

Legenda
para aquela estrela
azul
e fria
que me apontaste
já de madrugada:
amar
é entristecer
sem corrompermos
nada.

Carlos de Oliveira


As ondas quebravam uma a uma
Eu estava só com a areia e com a espuma
Do mar que cantava só para mim.

Sophia de Mello Breyner Andresen


7

Eu não sou eu nem outro
Sou qualquer coisa de intermédio:
              Pilar da ponte de tédio
              Que vai de mim para o Outro.

Mário de Sá Carneiro


INSCRIÇÃO

Eu vi a luz em um país perdido.
A minha alma é lânguida e inerme.
Oh! Quem pudesse deslizar sem ruído!
No chão sumir-se, como faz um verme...

Camilo Pessanha   


1 comentário: