sexta-feira, 4 de julho de 2014

23 - a poesia como autoajuda

[este número 23 segue-se ao 22, mas entre um e o outro houve uma distribuição feita ao acaso para atribuir nova ordem ao conjunto dos textos. Curiosamente este número 23 (antes 42), primeiro publicado depois dessa alteração, fala do acaso e dá-me como que um conselho, uma opinião, sobre o que fiz e sobre que atitude devo tomar. Gosto muito! De notar que estes textos tiveram o subtítulo de "poemas de autoajuda" e que estou a pensar dar-lhes a forma de baralho.]


23


Confia no acaso, tudo acontece

por acaso, mesmo quando não

acontece por acaso. Quando

desconhecemos a razão, tudo

acontece por acaso. Confia

no acaso, confia em ti; mesmo

quando não sabes porquê, tu tens

sempre razão, basta que aprendas

a confiar no acaso, basta que

aprendas a confiar em ti.

1 comentário: