domingo, 14 de julho de 2013

Poemas avulsos IV

A verdade do poema

Entre a verdade e a mentira
afirma divertido o poeta
venha o leitor e
escolha.

Na sua calculada inocência
o poema tem de mentir
para dizer a sua
verdade.

A verdade do poema
é a sua mentira
mais bem
guardada.


Poema emaranhado

Em nós existem
muitos e diversos
uns e outros nós

uns que nos prendem
ao melhor de nós mesmos
outros que nos afastam
de quem queremos ser

escolham então com cuidado
que nós devem manter
que nós devem desatar


Poema ingénuo

Talvez o centro
do poema
esteja em cada um
dos seus versos
em cada umas das
suas palavras
no exacto ponto
em que o poema
gira sobre si mesmo
como que movido
por uma irrequieta
corrente de ar

Sem comentários:

Enviar um comentário