domingo, 7 de agosto de 2011

DUAS HISTÓRIAS DE FANTASMAS E UMA MORAL


Uma história


Quando ela morreu, ele não chorou. Sentou-se e ficou à espera, completamente imóvel, com um ténue esboço de sorriso no rosto. Dois dias depois, quando ela voltou, ele ainda estava ali, e ela ficou assombrada com o sorriso que finalmente se inscreveu no seu rosto.


Outra história


Quando ela morreu, ele vestiu-se de negro dos pés à cabeça e chorou compulsivamente. Quando ela voltou, encontrou-o assim, a imagem própria do desespero. Ficou tão assombrada que se foi embora de vez. Foi então que um esboço de sorriso se desenhou hesitante no rosto dele.


Uma moral


A morte é um pouco como o ponto que usamos de diversas formas quando escrevemos: interroga, exclama, prolonga e termina.

1 comentário:

  1. Um comentário

    Um ponto, usado de muitas maneiras, deveria poder mandar vários sinais, e, ser um só? Na dúvida, não comento "Um comentário".
    Bom regresso, boas férias!...

    ResponderEliminar