quinta-feira, 24 de março de 2011

À esquerda do poema

Há muitas coisas que
quase mal imaginamos,
e no entanto,
nem por um momento
duvidamos
que são.
Nisso estamos de acordo,
tu e eu.
Mas enquanto tu
lhe chamas fé,
eu chamo-lhe
falta de visão.

3 comentários:

  1. Gostei muito deste poema (incluindo o título um bocado paradoxal) e também do anterior. Por associação de ideias bastante oblíqua, ambos me deram vontade de ir reler "Nada" de Vitorino Nemésio.

    ResponderEliminar