sábado, 4 de dezembro de 2010

O vento pára, as flores caem, um pássaro canta
- a montanha conserva o seu mistério.

poemas zen, O bebedor Nocturno, Herberto Helder, poemas mudados para português, Assírio & Alvim

Sem comentários:

Enviar um comentário