sexta-feira, 10 de setembro de 2010

o lambe-cuzismo nacional

Caro Luís,

1- os grandes grupos de escritores/artistas fazem-se (faziam-se) de afinidades que resultavam em grandes amizades. Relembro o ainda vivo exemplo português: Júlio Pomar, Lobo Antunes, Cardoso Pires, Fernando Lopes, entre outros. Será isso possível?

2- Qual o estimulo de um escritor para viver em Faro? O que é que a cidade de Faro tem que seja apelativo? E atenção porque, quanto a mim, Faro tem muito potencial (à semelhança de Guimarães que se transformou numa cidade muito bonita e restaurada).

3- Quanto às editoras, também eu me tenho perguntado sobre isso. E não venham com a conversa dos apoios: dou alguns exemplos, um de respeito, outros mais recentes: Antígona, Ahab, Livros de Areia: editoras de relevo e independentes.

É preciso, sim, proteger as pequenas editoras.

4- o melhor apoio para a literatura é a leitura e divulgação, a prática da tertúlia, a conversa despretensiosa e sem lambe-cuzismos. Coisa que muito se vê por aí, incluindo neste site e em Faro com alguns dos literários que por aí andam.

Aníbal Teixeira

[publicado em aqui, num dos blogs onde eu tinha deixado um inquérito]

Sem comentários:

Enviar um comentário