quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Do equilíbrio ou Poema do final

[para ti, tu sabes quem.]


No final, dizes a ti mesmo num momento de lucidez, num
dos teus raros mas intensos momentos de lucidez, no final
é apenas uma questão de equilíbrio. Pouco importa quanta
dor a vida te inflija ou quanta sejas capaz de suportar. Não
importa quanta alegria extraias da vida ou quanta consigas
sorver. No final, dizes, é apenas uma questão de equilíbrio.

Só me ocorre dizer, desculpa-me a metáfora hesitante, que
a dor e a alegria são duas sombras, projectadas pela vida e
por nós, e o que importa, o que nos resta, é equilibrá-las, é
acertá-las, de forma a que uma e outra se confundam e, no
final, pareçam (e sejam talvez) apenas uma. Tal como nós.

6 comentários:

  1. Venho apenas deixar os meus votos de um Feliz Ano Novo onde os desejos contemplem sempre o Amor e Amizade.

    Abraço :)

    ResponderEliminar
  2. abraços do norte do Brasil, Luis! feliz 2010.

    Edgar Borges
    www.edgarb.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Um bom ano e que o ENE COISAS continue a deixar por aqui ene coisas interessantes.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  4. Então Amigo Luís, perdeu-se o tempo para o Ene em 2010?
    tem um prémio no clips.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  5. Cadê você, portuga? esqueceu de postar em 2010?

    abraços!

    ResponderEliminar