quarta-feira, 29 de abril de 2009

O espírito da concisão

60 palavras
Esforçava-se muito por ser conciso, mas ficava sempre com a sensação que dizia de mais ou de menos, e nunca o estritamente necessário. Com o tempo percebeu que ser conciso é algo que diz respeito ao outro, e não é tanto o que dizemos, como o que lhe deixamos para dizer. A partir daí foi-lhe muito mais fácil ser conciso.

49 palavras
Dizia sempre de mais ou de menos, e nunca o estritamente necessário. Com o tempo percebeu que a concisão era algo que dizia respeito ao outro, e não era tanto o que dizia, como o que deixava para ser dito. A partir daí foi-lhe muito mais fácil ser conciso.

36 palavras
Dizia sempre de mais ou de menos; mas com o tempo percebeu que não era tanto o que dizia, como o que deixava para os outros dizerem. A partir daí foi-lhe muito mais fácil ser conciso.

30 palavras
Com o tempo percebeu que o importante não é tanto o que se diz como o que se deixa para os outros dizerem. A partir daí foi-lhe fácil ser conciso.

20 palavras
Só alcançou a desejada concisão quando percebeu finalmente que o importante é o que se deixa para os outros dizerem.

in minguante n.º 1

Sem comentários:

Enviar um comentário