segunda-feira, 15 de agosto de 2016

...

Pela terceira ou quarta vez
no espaço de meia hora
o avião atravessa a janela do meu quarto
da direita para a esquerda
elevando-se no azul
como se fosse sempre o mesmo avião
inconveniente e teimoso
e eu rio-me de mim mesmo
eu o mesmo que a cada passagem
do impertinente avião
pensou incluí-lo num poema
mas não se decidiu
e que o faz agora
dias depois
quando já não pensava escrevê-lo.
Mas talvez eu seja outro!



Sem comentários:

Enviar um comentário