segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

ser poema

[ há poemas que se escrevem de uma vez só, com aparente facilidade, necessitando depois apenas de pequenos acertos; e há outros que escrevo e rescrevo com esforço até que finalmente se escrevam. Normalmente duvido bastante dos segundos. o poema seguinte pertence a essa última categoria.]

descubro no mundo à minha volta
tanta infelicidade
que me interrogo se alguma vez
poderei ser feliz

encontro em mim tantas formas
de ser infeliz
que me interrogo se alguma vez
conseguirei ser feliz

e enquanto assim me interrogo
acontece-me intensamente ser
se feliz ou infeliz
isso pouco importa

escrever um poema
qualquer que ele seja
é sempre interrogarmo-nos
sobre o que é a poesia

interrogo-me sobre a felicidade
espero desespero quase enlouqueço
e talvez essa seja a minha forma
de ser feliz aqui e agora

o momento certo é sempre
o momento que escolhemos
o poema que não escrevemos
nunca chegará a ser

Sem comentários:

Enviar um comentário