segunda-feira, 28 de novembro de 2011

3 x poema

1.

Escreveu um poema e fez dele a sua casa. O poema era pequeno e não tinha água canalizada, mas podia levá-lo para todo o lado e tinha uma extraordinária vista sobre o ser.

2.

Escreveu um poema e viu-se nele. Escreveu outro poema e sentou-se nele.
Disseram-lhe que devia escrever mais.
Respondeu sem hesitar que só escrevia poemas quando precisava muito.

3.

Escreveu o melhor de todos os seus extraordinários poemas e decidiu nunca mais escrever.
Estava demasiado agradecido às palavras parar continuar a torturá-las.

3 comentários:

  1. Á beira do genial
    Muito obrigado, sinto-me honrado de ser mestre de tão digno discipulo.

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  2. Bom dia.

    Muito bons: o seu texto e o seu blog. Seu poema, em todas as versões, é magnífico. Eu tento não me ver nos meus poemas. Mas somente tento. Às vezes levo susto ao me reconhecer tão nu em alguns deles. Parabéns. Virei aqui mais vezes para apreciar seu belo espaço.


    Feliz ano novo!
    Grande abraço.

    ResponderEliminar