sábado, 22 de outubro de 2011

SEM PALAVRAS

[para o Rogério, mas também para o Tiago e para o Diogo]

inspiro e expiro
num movimento contínuo
que me afasta
e me aproxima
de mim mesmo
e do mundo

o mundo só existe
a cada palavra que digo
a cada frase que se diz
encerrando-me
libertando-me
uma e outra vez

há nesta loucura
uma enorme tranquilidade
incomensurável
inapelável
peixe água lago
espanto primordial

Sem comentários:

Enviar um comentário