sexta-feira, 7 de outubro de 2011

poema ditado para o gravador durante um passeio junto à ria de Faro - décima versão

não temas a morte
não a desafies

podes espernear
podes entregar-te

faças o que fizeres
a vida é sempre
transitória

a escolha é tua
faz o que quiseres

Sem comentários:

Enviar um comentário