terça-feira, 27 de setembro de 2011

QUERER


Desconheço
as razões porque
quero o que
quero mas
isso nunca me
impediu de
crer.

O que eu quero
é apenas a medida
do meu fracasso.

Queria que este
poema acabasse
[aqui]
mas sei que
continuará
em ti.

Sem comentários:

Enviar um comentário