sábado, 6 de novembro de 2010

Contar historias


Contar histórias, apetece-me dizer, é contar histórias, é contar histórias, quer seja no papel quer seja em volta alta. Talvez * uma semelhança entre os contadores de histórias e os escritores de hoje (adeptos ou não de formas breves) seja a necessidade urgente de se reinventarem e de reinventar os seus instrumentos. Só assim ** se percebe que os contadores de histórias tenham começado a contar histórias escritas (por eles mesmos ou por outros) e que os escritores comecem muitas vezes a dizer as suas histórias em público (e ou a escrevê-los para serem ditas).



* Estou viciado nas notas de rodapé, é apenas o que esta nota de rodapé diz.
** E esta reafirma. A culpa é do Rui Manuel Amaral. Leiam a entrada anterior (se é que ainda não a leram).

Sem comentários:

Enviar um comentário