segunda-feira, 19 de outubro de 2009

BÓLIDE



BÓLIDE


O automóvel negro desaparece
na curva do ser. Eu
apareço na planura:
todos vão morrer, diz o velho
que se apoia na fachada.
Não me contes mais histórias:
o meu caminho é o caminho
da neve, não é o de parecer
mais alto, mais bonito, melhor.
Morreu Béltran Morales,
ou assim o dizem, morreu
Juan Luis Martinez,
Rodrigo Lira suicidou-se.
Morreu Philip K. Dick
e já só necessitamos
do estritamente necessário.
Vem, mete-te na minha cama.
Acariciemo-nos toda a noite
de ser e do seu negro carro.

Los Perros Românticos, Roberto Bolaño
[vertido por mim para português]

1 comentário: