domingo, 12 de julho de 2009

As três vidas, João Tordo

Cheguei à solução do enigma numa tarde de ócio, em que passeava, desatento, por Greenwich Village. O facto de a resposta ter chegado dessa maneira era mais um indício que confirmava aquilo que vinha aprendendo com Milhouse Pascal: a natureza da realidade era fugidia e só se revelava nos momentos em que, distraídos de nós, permitíamos que os nossos sentidos se sobrepusessem à razão.


João Tordo, As três vidas

Sem comentários:

Enviar um comentário