sexta-feira, 10 de abril de 2009

masculino/feminino: poemas de amor

segundo

I

Amo-te muito, disse ela, e ele assentiu com a cabeça, ao mesmo tempo que dizia a si mesmo que esse é que era o problema.

II

Amo-te muito, disse ele, e ela assentiu com a cabeça, ao mesmo tempo que dizia a si mesma que esse é que era o problema.


[hoje, na Rua do Imaginário (veja aqui ao lado, na barra lateral), lerei este e outros poemas desta série]

Sem comentários:

Enviar um comentário